Peço-te

16 de jan de 2011







Peço-te que me compreendas !


Quando meu lado filosófico e poético tiverem em pleno estado de euforia,


quando eu for opinião fálida mesmo que forte .


Meu mundo me permite, uma méra auto-confiança,


mesmo que seja dentro do meu cazúlo, eu preciso voar,


mesmo que seja sem ser amado eu preciso amar,


mesmo que seja brincadeiras do acaso eu preciso conquistar.


Quando não restar mais batimentos no meu peito, peço que '' rápte-me, cápte-me , sápte-me coração '' ...


Meu mundo vem caindo aos poucos,


na medida em que minhas convicções se transformam em pétalas, desgrudadas da flor.


Quando eu for indecisão, peço-te que me transforme em impulsividade,


quando não me restar mais pudor, peço-te que me lave pois serei esgoto à céu aberto !


Por fim, me jogue águas de algum rio na testa e me fale palavras santas e, enfim serei paz !

0 IMAGINARAM: